Governo estuda privatizar presídios no Rio Grande do Norte

Estado tem 33 unidades prisionais; 14 foram alvos de rebeliões em março.
Robinson Faria pediu estudo para definir modelo a ser adotado no RN.

Algumas unidades ficaram destruídas, segundo a titular da Sejuc. Na foto, uma cela de Alcaçuz após as rebeliões (Foto: Divulgação/Sindasp-RN)14 unidades prisionais do RN foram alvos de
rebeliões em março. Na foto, uma cela de Alcaçuz
após as rebeliões (Foto: Divulgação/Sindasp-RN)
O governador Robinson Faria pretende privatizar os presídios do Rio Grande do Norte. De acordo com a secretaria de Comunicação do estado, já foi solicitado um levantamento de exemplos de privatização de unidades prisionais no Brasil para que o governador tenha elementos para definir o modelo a ser adotado no RN.

Durante o Encontro de Governadores do Nordeste que aconteceu na última sexta-feira (8), em Natal, Robinson Faria mencionou que o Rio Grande do Norte enfrenta uma grande crise no sistema prisional e sugeriu que o tema fosse pauta do próximo encontro dos gestores. "O meu estado, assim como outros que participam deste encontro, passa por uma crise no sistema prisional. É um assunto de extrema importância que eu sugiro que seja incluído na pauta do próximo encontro", disse.

Em março deste ano, 14 unidades prisionais do RN foram alvos de consecutivas rebeliões. Algumas das unidades ficaram completamentes destruídas. É o caso da Penitenciária de Alcaçuz, a maior do estado, que teve todas as grades das celas arrancadas pelos presos e, por esta razão, os detentos seguem soltos dentro dos pavilhões.

*G1/RN
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

1 comentários:

Clique aqui para comentários
Paulo Ferreira Alves
Administrador
12 de maio de 2015 13:29 ×

Se privatizar a coisa funciona, vejam a Cosern. Vocês já ouviram falar em depredação de cadeias Americanas???

Paulo Ferreira Alves
Responder
avatar

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário