Valdetário Carneiro é relembrado num romance de cordel do poeta Marciano Medeiros

Novo lançamento será dia 5 de junho em Mossoró no Museu da Resistência 


O cordelista Marciano Medeiros apresentará ao público mossoroense, seu novo trabalho escrito na Literatura de Cordel. Trata-se de uma biografia elaborada em linguagem poética, sobre a trajetória de Valdetário Carneiro, um homem lendário e que deixou muitas marcas pelas veredas do sertão. Marciano disse que passou um ano para elaborar este novo texto e que suas principais fontes foram os livros A Saga Benevides Carneiro de Dudé Viana e Valdetário Carneiro: a essência da bala, redigido pelos jornalistas Paulo Nascimento e Rafael Barbosa. Quando a redação estava aparentemente pronta o autor procurou familiares de Valdetário e tais contatos trouxeram algumas informações novas. “Na fase de elaboração consegui falar com Silvana Alves e em seguida com Aguinalda Fernandes, elas foram muito atenciosas”, relatou Medeiros. As numerosas conversas que teve com as duas viúvas serviram para aperfeiçoar o texto. Valdetário Carneiro teve três esposas em fases diferentes, quando se separava de uma conhecia a outra em seguida, sendo que sua primeira companheira foi Marli Nascimento, depois Aguinalda Fernandes e por último, Silvana Alves. 

O poeta disse que conseguiu por intermédio de Crispiniano Neto ter acesso a Vanzinho Carneiro, primo de Valdetário, para quem leu todo o texto do cordel, fazendo desta maneira algumas correções de interpretações equivocadas. “Foi um momento marcante dialogar com um dos primos de Valdetário, senti como se ele estivesse participando da conversa”, mencionou o autor. Em seguida veio o contato com outros parentes de Valdetário: Onesimar Carneiro, Nirinha, Ivna, Tadeu Benevides, Lourinalda, Ridália, dona Noima, Josefran e Gina Gurgel.

O romance tem 289 estrofes dispostas em 32 páginas, onde cada uma a exceção da primeira e da última, tem duas colunas com cinco estrofes. A apresentação foi redigida por Dudé Viana, que é primo de Valdetário Carneiro. Marciano Medeiros disse que elaborou todo o poema em setilhas e procurou dar o colorido da poesia para narrar um drama tão complexo que envolveu Valdetário desde menino, crescendo num cenário onde a vingança se fez muito presente, quando alguns policiais tinham lado nas disputas locais. Isso foi também mencionado num depoimento que o poeta Crispiniano Neto escreveu e consta na contracapa do trabalho. O romance de cordel conseguiu resumir mais de 50 anos de história e relembra Antonino Carneiro, Carneirinho, Doutor, dona Luzia, Tico Carneiro, Luiz Neto, Layanna, José Valdetário Filho e outros que fazem parte da história de Valdetário. 

Em meio a tantas confusões Valdetário Carneiro conseguiu resistir sem enveredar pelas trilhas do crime, o que só veio a ocorrer de fato após 1997, quando ele passou a liderar uma perigosa quadrilha de assaltantes, depois de ter sofrido várias injustiças e ter tirado uma pena de quatro anos em Campina Grande por um roubo que não cometeu, juntamente com seu primo Galego. Foi forjado um processo e policiais da época amarraram os dois primos, colocando-os na carroceria de uma caminhonete, os expondo de forma constrangedora na comunidade de Caraúbas, como sendo os novos ladrões da família Carneiro. 

O poeta relembrou também a aparição de Valdetário no programa Linha Direta da TV Globo, que não ouviu ninguém da família dele, apresentando-o como alguém que participava de festas e de orgias, o que espantou todos os seus parentes, pois Valdetário detestava bebedeiras. “Nesse dia o Rio Grande do Norte parou para assistir o programa apresentado por Domingos Meirelles, colocando o sertanejo que sonhara em ser ator, num drama de repercussão nacional, mas era um filme feito com realismo e sem existência de diretor”, falou o poeta numa das estrofes. 

Marciano Medeiros comparou o biografado com Lampião e disse ter trabalhado dentro da metodologia de expor causas e efeitos, sem julgamentos ou condenações. “Não existe qualquer apologia ao crime, fiz um jornalismo em forma de poesia, e estou feliz por ter conseguido com muita luta concluir esta biografia”, disse o poeta nascido em Santo Antônio/RN e cuja origem é de Serra de São Bento/RN. O cordel foi revisado pelo autor e por seu amigo e também poeta, Marco Haurélio. Já o desenho da capa foi feito por um primo de Valdetário, o jovem artista Pedro Wlgerlhes. Marciano Medeiros já tem mais de vinte títulos publicados e recentemente participou em Brasília do Encontro Nacional de Cordelistas Nordestinos, representando Serra de São Bento/RN. A biografia de Valdetário Carneiro também foi divulgada no evento e teve dezenas de exemplares vendidos na capital federal. 

Local: Museu da Resistência em Mossoró 

Data: 5 de junho de 2015 

Hora: a partir das 19 horas 

Preço: 5 reais 

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário