Servidores do INSS, dos ministérios da Saúde e Trabalho entram em greve no RN


Servidores federais dos ministérios da Previdência Social, do Trabalho e da Saúde no Rio Grande do Norte vão entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir desta terça-feira (7). 

Com a paralisação desses analistas e técnicos da União, fica suspensa a maior parte dos atendimentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e das agências regionais do Trabalho no Estado.

A greve dos servidores é motivada por cinco reivindicações principais. São elas: a reposição salarial em conformidade com a inflação, a incorporação de gratificações, a paridade entre ativos e inativos, a realização de concurso público para repor o quadro funcional e a regulamentação das 30 horas da jornada de trabalho para todos da categoria. 

O Governo Federal apresentou proposta de reajuste inferior ao valor das perdas salariais e ainda com a condição de ser concedido ao longo de quatro anos.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Previdência, Saúde e Trabalho do Estado (Sindprevs-RN), servidora Fátima Caldas, a decisão pela paralização foi acordada em assembleia pela categoria e acompanha um movimento nacional. 

“Há uma tentativa antiga de diálogo com o Governo Federal, mas o assunto nunca fui tratado com prioridade pelo Executivo. Apenas dois estados do país não aderiram à paralisação, Goiás e Amazonas”, conta a presidente.

O início da greve no RN será marcado por uma audiência pública na Câmara Municipal de Natal às 9h e ato público às 11h, em frente a central do INSS de Natal, localizada na Rua Apodi, no bairro de Tirol, ambos nesta terça-feira (7). 

Oportunidades em que os servidores vão dar ciência à sociedade da paralisação e apresentar publicamente as suas razões. “Vamos respeitar a manutenção do mínimo de 30% dos serviços essenciais, já que o objetivo da greve é chamar a atenção do Governo e não prejudicar a população”, esclarece Fátima. 

No caso do INSS, algumas agências vão funcionar internamente, mantendo apenas os atendimentos considerados urgentes. O Sindicato pretende mobilizar a categoria para ter um movimento paredista de pelo menos 70% dos servidores da sua base e informa que a greve tende a ser crescente em todo o país caso o Governo Federal não retroceda e negocie.

A última grande greve nacional dos servidores do INSS aconteceu no ano de 2009, quando os analistas e técnicos do Instituto paralisaram as atividades por mais de 28 dias. 

No Rio Grande do Norte, existem mais de 30 agências do Instituto. A paralisação da categoria significa, entre outras coisas, a suspensão dos atendimentos de aposentadoria, pensões e benefícios assistenciais, sem data para retorno, em todas as agências de Natal e do interior do Estado.

Com informações do SindPrevs-RN/Mossoró Hoje
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário