Cabo da PM é preso por ter "falado alto" e "desobedecido" oficiais

Oficiais estavam reunidos e teriam sido “atrapalhados” por conversa dos praças.


Um cabo da Polícia Militar foi preso, nesta terça-feira (18), por ter falado alto, “atrapalhado” uma reunião de oficiais do 1º Batalhão da Polícia Militar e, em seguida, de acordo com alegação do capitão Renato Trovão, que deu a voz de prisão, desobedecido os oficiais. Agora, o cabo Freitas está detido na Companhia da PM em Mãe Luiza.

A advogada Kátia Nunes disse que foi informada pelo próprio cabo Freitas da prisão e foi prestar assistência a ele. “Já fizemos um pedido ao juizado militar para que ele seja liberado, até porque o tipo penal invocado em desfavor do cabo não se encontra materializado, na verdade, o que há um abuso de autoridade por parte de quem faz a acusação”, comentou.

De acordo com ela, o cabo Freitas estava em uma sala ao lado da sala onde oficiais se reuniam e, durante conversa com os colegas, o cabo teria elevado o tom da fala. “Um tenente foi até o local e pediu que eles falassem mais baixo. Então, eles diminuíram o volume, mas, com um tempo, o cabo Freitas acabou novamente elevando um pouco mais o som da voz e, foi então que recebeu a voz de prisão”, relatou a advogada.

Kátia Nunes ainda explicou que esse tipo de situação poderia ter sido resolvida administrativamente, sem a necessidade de prisão. “Está claro que o cabo não falou alto com intuito de desrespeitar nem desobedecer nenhum oficial. É inacreditável que nos dias de hoje ainda haja esse tipo de comportamento. Um policial ser preso porque falou alto e por uma questão de interpretação do oficial”, completou.

O capitão Trovão declarou no ato de prisão em flagrante que o cabo Freitas teria desobedecido, pois, após algumas solicitações de silêncio e, depois de dois pedidos para que o cabo se retirasse da sala onde estava, ele se negou e pediu que esperasse terminar de conversar com outro colega.

O mesmo foi relatado pelo tenente Vinicius, outro oficial que também teria pedido para o cabo Freitas e os demais praças falassem em tom mais baixo, pois “estavam conversando em um tom inadequado para um ambiente de serviço administrativo”. O tenente Vinícius também alegou que ele e o capitão Renato Trovão pediram que o cabo Freitas se retirasse da sala e, diante a negativa, acabaram entendendo que houve desobediência.

*Portal BO
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário