Crime organizado faz o que quer e Estado corre atrás do prejuízo


O Rio Grande do Norte viu, nos últimos dias, mais uma demonstração de força do crime organizado e de fraqueza das forças de segurança do Estado. Assim como no início do ano, presos voltaram a tocar terror dentro das unidades prisionais. Foram mortes, confrontos, rebeliões e destruição nas cadeias. Tudo isso provocado declaradamente por duas facções criminosas: o PCC e o Sindicato do RN.

As duas organizações atuam dentro e fora dos presídios há muito tempo, comandando tráfico de drogas, assaltos e assassinatos. E, a cada ação provocada dentro dos presídios, como as dessas últimas duas semanas, fica claro a força que o PCC e o Sindicato do RN desempenham, enquanto o Estado não apresenta a menor condição de controlar os criminosos, mesmo eles estando presos, sob custódia do próprio Estado.

Se presos os criminosos ainda fazem o que fazem, imagine os que estão soltos. Nesta terça-feira, 163 tiveram que ser transferidos de unidades prisionais. Os do PCC foram separados do Sindicato do RN.

Ora, se as forças de Segurança Pública não conseguem controlar um presídio e evitar que presos façam o que querem dentro das cadeias, isso é a assinatura de incompetência do Estado para lidar com o crime organizado.

Como sempre, as forças de segurança continuam "enxugando gelo", atuando pra remediar o caos. PCC e Sindicato do RN são muito mais fortes e organizados que a cúpula de segurança.

Essa, aliás, tem sido uma regra em todo Brasil.

As facções criminosos usam as unidades prisionais como escritórios para traçaram estratégias de ações, atuações e cada vez mais crescimento. E o que tem sido feito ao longo dos anos para evitar que isso aconteça? Nada, absolutamente nada!

Então, continuamos assim: o crime organizado fazendo o que quer o Estado correndo atrás do prejuízo!

*Portal BO
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário