Operação Poker é desencadeada no município de Alexandria/RN

Visando coibir a prática de jogos de azar, as polícias civil e militar de Alexandria, desencadeou no dia de hoje, a operação intitulada "Poker", que levou até a delegacia do município, mais de 30 pessoas em 6 casas de jogos para serem ouvidas. O nome da operação é uma alusão as fichas utilizadas pelos jogadores, que são as mesmas usadas pelos adeptos do poker. Apesar do delegado titular de Alexandria, Dr. Aroldo Chaves, deixar claro que o principal jogo praticado pelos apreendidos, é o pife. Dr. Aroldo citou quais as motivações para a operação: "Por ser contravenção deve ser sanada. É ilegal. Aprendemos todos os que nas casas de jogos estavam, assim como baralhos, fichas, dinheiro e haveremos de lavrar um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO). Após as oitivas, todos serão liberados e remeteremos os procedimentos para a esfera judicial, para que as providências sejam tomadas. No caso de reincidência, a lei determina que em 5 anos, havendo a prática deste novo ato, estes responderam por processo, que terão pena prevista de 3 a 6 meses de prisão simples, no caso de reincidência, é agravado a pena imposta. Tudo que foi apreendido, será remetido a esfera judicial, quanto aos valores, geralmente, serão revertidos em prol da União.


Esta operação foi um sucesso. Com isso, procuramos frear futuras práticas criminosas, como por exemplo, cito o assassinato que houve ontem em Marcelino Vieira, salvo engano, deu-se numa casa de jogo. Muitas vezes, um jogador sai devendo ou desentende-se com lances do jogo e isso é um passo para uma desavença que possa levar a consequências mais sérias, quando não homicídio. O consumo de drogas, por parte de alguns, para que fiquem "ligados" no jogo é outro fator de risco. Vale lembrar, que outros, muitas vezes, deixam de cumprir com as obrigações de casa, do seu lar, para arriscar valores no jogo. 

É contravenção e deve e será combatido na nossa jurisdição", disse o delegado.

A Polícia Militar, sob o comando do Capitão Brilhante, teve uma participação importantíssima na operacionalidade da operação. 

As apreensões ficaram à cargo dos PM's. Os agentes civis receberam os detidos na delegacia, para a lavratura dos TCO's.

Questionamos ao delegado Dr. Aroldo, quais as dificuldades enfrentadas no exercício da função dos policiais civis em Alexandria: "A delegacia de Alexandria, em comparação com a realidade que o estado do Rio Grande do Norte enfrenta, pode ser considerada como bem assistida. É verdade que o nosso quadro é escasso, deficiente, ainda. Mas procuramos superar isso com a vontade de trabalhar, de ajudar a população em manter a ordem. Fazer o papel de polícia para o qual fomos designados. Não só eu, como delegado da cidade, mas o delegado regional, Dr. Célio, que me antecedeu na delegacia de Alexandria, que montou toda uma equipe, coesa e comprometida com a nossa tarefa, como todos os policiais, que não medem esforços para que obtenhamos exito nas nossas atividades.

*RN Política em Dia
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário