Decisão: MP voltará a pagar salário de servidor que tentou matar procuradores

Seguindo determinação judicial dada após alegação da defesa do servidor, salário voltará a ser pago a Guilherme Wanderley, acusado de tentativa de homicídio

Guilherme Wanderley tentou assassinar procuradores e um promotor

Da Redação Agora RN

O pagamento do salário do servidor Guilherme Wanderley Lopes da Silva, acusado por tentativa de homicídio, deverá ser retomado pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte, segundo decisão do juiz Cícero Martins de Macedo Filho, da 4ª vara da Fazenda Pública da capital potiguar.

No dia 24 de março, o servidor atirou contra o Procurador-Geral de Justiça, Rinaldo Reis Lima, o Procurador-Geral de Justiça Adjunto Jovino Pereira da Costa Sobrinho, e o Coordenador da Assessoria Jurídica Administrativa Wendell Beetoven Ribeiro Agra. Desde o dia 25 do mesmo mesmo, Guilherme segue preso aguardando julgamento e teria tido seu salário suspenso pelo Ministério Público.

Porém, sua defesa questionou a decisão, alegando que a decisão do MP teria vindo sem ao menos dar direito à defesa do servidor de agir.

Foi utilizado o argumento de que Guilherme não foi julgado e a suspensão de seu salário seria visto como uma forma de afrontamento ao princípio da não-culpabilidade, uma vez que o servidor não fora condenado. A defesa ainda utilizou o argumento de que a família Guilherme estaria passando por dificuldades devido ao corte salarial.

O juiz Cícero Martins analizou as alegações e afirmou que, apesar de ter ciência do crime cometido pelo servidor, o ato de suspender seu salário é visto como uma antecipação da pena. Além da autorização, também foi previsto que os vencimentos de abril e maio sejam depositados na conta de Guilherme.

O Ministério Público irá cumprir decisão judicial, que foi notificada oficialmente nesta terça-feira, 13, porém, recorrerá a mesma.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário