_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Com a marca de 1.500 homicídios, Fórum de Segurança Pública do RN cobra ‘bom senso’ do governador

Entidade quer entregar a Robinson Faria medidas efetivas para a melhoria da segurança pública. Em menos de 8 meses, número de homicídios é 25,2% maior que o registrado ano passado.


Fórum de Segurança Pública do Rio Grande do Norte – entidade que reúne instituições de segurança pública do estado – quer ‘bom senso’ do governador Robinson Faria para que ele tome medidas efetivas contra a criminalidade. Neste fim de semana, o RN chegou a marca de 1.500 homicídios registrados em menos de 8 meses – um crescimento de 25,2% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Os números são do Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO) – instituto que contabiliza e analisa os crimes contra a vida. O G1 procurou a Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) para comentar os dados e a ainda aguarda um posicionamento do governo.

“A nós, que arriscamos constantemente nossas vidas, resta acreditar no bom senso do governador do Rio Grande do Norte em receber o Fórum de Segurança Pública do RN para que possamos entregá-lo medidas efetivas para melhoria da segurança pública. Ratificamos o compromisso com a sociedade potiguar, na ocasião em que pedimos o seu apoio ao binômio segurança pública/valorização profissional”, destaca a carta (leia a íntegra no final da matéria).

Ainda de acordo com o Fórum, as 1.500 mortes ocorridas até o momento este ano, além de deixarem perplexa a sociedade, também frustram os operadores da segurança pública. “As feridas expostas da segurança pública do RN já nos é velha conhecida. A falta de gestão, a tomada de decisão desconexa com as demandas sociais, a ausência de convite da base para efetivamente participar da formulação de políticas efetivas de combate à criminalidade, a falta de estrutura, um judiciário insulado e em castas com uma poupança robusta capitalizando o dinheiro da população, um Ministério Público ocupado com pagamento de super salários aos seus integrantes e um governo reativo, formaram a mistura perfeita para eclosão do caos”, acrescenta.

Por fim, os representantes do fórum dizem que “é hora de dar um basta” e que “é preciso ter compromisso em ouvir e atender a quem realmente, à preço de sangue, tem tentado ser a última barreira de proteção entre cidadãos e os criminosos”.

1.500 homicídios

“A violência e a insegurança são promovidas pelo próprio governo do Rio Grande do Norte, quando, para se esquivar de sua responsabilidade, insiste em criar bodes expiatórios para seus próprios erros. A prova disso é que chegamos a 1.500 CVLIs (Condutas Violentas Letais Intencionais) nesses 222 dias de 2017”, critica o especialista em gestão e políticas de segurança pública Ivenio Hermes, que também é coordenador do Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO) – instituto que contabiliza e analisa os crimes contra a vida.

Variação de homicídios ano a ano no RN (Foto: OBVIO)

Homicídios por cidades

Em Natal, foram 392 assassinatos entre 1º de janeiro e o dia 11 de agosto. Na lista das cidades mais violentas do no estado, também preocupam:

Mossoró, com 150 homicídios contabilizados;
Ceará-Mirim, com 105;
Parnamirim, com 93;
São Gonçalo do Amarante, com 67;
Macaíba, com 59.

NOTA PÚBLICA À SOCIEDADE POTIGUAR

Nós, representantes legítimos da maioria dos operadores de segurança pública no Rio Grande do Norte, viemos através desta nota pública fazer ecoar mais uma vez a voz dos profissionais que hoje atuam diuturnamente nas ruas em prol da sociedade potiguar, na qual obviamente estamos inseridos como cidadãos, mas sem nunca deixar de representar o Estado frente as mais diversas crises na segurança pública potiguar.

Os profissionais de segurança pública tentam assegurar a ordem, a paz e a proteção social frente a omissão histórica dos que desprezaram questões sociais importantes e desconsideraram o conceito macro que envolve segurança pública, que de nenhuma maneira se resume somente a força policial que nos é consignada pela sociedade.

As 1.500 (mil e quinhentas) mortes em 2017, que deixam perplexa a sociedade potiguar, apesar de também nos deixar frustrados, não nos surpreende. As feridas expostas da segurança pública do RN já nos é velha conhecida. A falta de gestão, a tomada de decisão desconexa com as demandas sociais, a ausência de convite da base para efetivamente participar da formulação de políticas efetivas de combate à criminalidade, a falta de estrutura, um judiciário insulado e em castas com uma poupança robusta capitalizando o dinheiro da população, um Ministério Público ocupado com pagamento de super salários aos seus integrantes e um governo reativo, formaram a mistura perfeita para eclosão do caos.

É hora de dar basta ao ciclo de crises que tanto favorecem aos que querem subjugar a sociedade norte-rio-grandense, mas com a certeza que não existe soluções fáceis quando se trata de segurança pública. Para tanto, é preciso ter compromisso em ouvir e atender a quem realmente à preço de sangue, tem tentado herculeamente ser a última barreira de proteção entre cidadãos e aqueles que querem ditatorialmente impor regras através do crime, paralisando os mais diversos setores da acuada e sofrida sociedade potiguar.

A nós que arriscamos constantemente nossas vidas a despeito de todo o descaso dos sucessivos governos conosco e com a segurança pública, nos resta acreditar no bom senso do governador do Rio Grande do Norte em receber o Fórum de Segurança Pública do RN, para que possamos entregá-lo medidas efetivas para melhoria da segurança pública. Ratificamos o compromisso com a sociedade potiguar, na ocasião em que pedimos o seu apoio ao binômio segurança pública-valorização profissional.

O Fórum

O Fórum de Segurança Pública do Rio Grande do Norte foi criado em 2015 com a missão de promover debates, traçar estratégias, ações e propostas para o aparelhamento e desenvolvimento do setor. É composto pelo Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal do RN (Sinpef-RN), Associação dos Bombeiros Militares do RN (ABM-RN), Associação dos Cabos e Soldados da PM do RN (ACS-PMRN), Associação dos Guardas de Trânsito do RN (AGT), Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBM-RN), Sindicato dos Agentes Penitenciários do RN (Sindasp-RN), Sindicato dos Guardas Municipais do RN (Sindguardas-RN), Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN (Sinpol-RN) e Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do RN (Sinprf-RN).

G1/RN
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário