_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Família recebe corpo errado para velório no RN; 'constrangimento', diz sobrinha

Caso aconteceu em Tenente Ananias, na região Oeste potiguar, onde homem seria sepultado nesta segunda-feira (21). Erro foi percebido após viagem de 400 quilômetros.


Sede do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte, em Natal (Foto: Divulgação/Itep)

"A gente não quer falar sobre isso, quer tentar esquecer. Foi algo muito constrangedor. Está todo mundo abalado". A fala é da sobrinha de um homem que morreu no último domingo (20) no Rio Grande do Norte. O que já era um pesadelo para a família da cidade de Tenente Ananias, na região Oeste potiguar, ficou ainda pior. O corpo que chegou para o velório no município localizado a 413 quilômetros de Natal não era o do parente.

O caso logo ficou conhecido no município. Todas as pessoas com quem o G1 conversou nesta terça-feira (22) já sabiam da história. O Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) também reconheceu o erro e afirmou que já está investigando as responsabilidades de servidores ou do próprio sistema usado na liberação dos corpos. "Muito provavelmente foi falha humana", disse o diretor Marcos Brandão.

Segundo a Secretaria de Assistência Social de Tenente Ananias, a morte do homem aconteceu no domingo. Após identificação na sede do Itep, na capital potiguar, um corpo foi liberado para a funerária contratada pela família e chegou ao município por volta das 5h da segunda-feira (21), após ser transportado por mais de 400 quilômetros. Na hora do velório, porém, eles perceberam que não se tratava do parente deles.

Depois de identificado o problema, foi preciso transportar o corpo errado de volta para Natal. E o corpo certo só chegou à cidade do Oeste por volta das 2h desta terça-feira (22), sendo sepultado no início da manhã.

"Constrangida" a família disse que preferia não dar entrevista e que quer apenas esquecer a situação, por enquanto.

Investigação

Segundo o diretor do Itep, Marcos Brandão, um servidor que seria responsável pela liberação do corpo já foi identificado e passará por investigação. Para ele, a grande possibilidade é que o erro tenha acontecido por falha humana.

"Fiquei surpreso com isso", afirmou o diretor. De acordo com ele, o órgão implantou o NIC - número de identificação de cadáver - em agosto de 2017, justamente para evitar casos como esse. No novo sistema, o corpo é identificado por um número cadastrado em uma guia e em uma presilha colocada no tornozelo ou no braço, assim que ele chega ao Itep. Essa presilha é lacrada.

"O número também fica cadastrado no sistema e o corpo só pode ser liberado após uma conferência. É o procedimento padrão, que provavelmente não foi seguido", disse. Ele também afirmou que existe recomendação para que as famílias acompanhem a liberação, o que não aconteceu neste caso, provavelmente pela distância entre Natal e a cidade.

Segundo Marcos Brandão, o Itep identificou o erro antes mesmo de o corpo chegar a Tenente Ananias, quando servidores perceberam que o corpo cujo NIC constava como liberado permanecia no prédio da medicina legal. Mas o carro da funerária já estava na estrada.

Marcos Brandão ainda considerou que desde agosto o órgão liberou mais de 3 mil cadáveres e esse foi o primeiro erro registrado. De acordo com ele, a corregedoria da Secretaria de Segurança Pública vai apurar se o erro foi cometido pelo servidor, ou pelo sistema e o que teria provocado isso. "Esse erro está sendo auditado e haverá responsabilização", destacou.

Por Igor Jácome, G1 RN

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário