_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

HOMICIDA CONDENADO A 32 ANOS DE PRISÃO VAI A JULGAMENTO EM MOSSORÓ POR MAIS UM ASSASSINATO


O Tribunal do Júri Popular julgará nesta quarta-feira (24), três réus acusados de matar o ex-presidiário Bruno Maycon de Moura, em outubro de 2016, no bairro Santo Antônio, zona norte de Mossoró. O júri começa às 8h30 no Fórum Municipal Desembargador Silveira Martins, em Mossoró.

Serão julgados: 

Abdiel da Silva Domiciano, o Galadinho, 24 anos
Clênio Nunes de Souza, 29 anos
Jorge Luiz de Lima, Açuquinha, 36 anos

Esta é a terceira vez que Abdiel Domiciano vai a julgamento só em 2018. Os outros júris aconteceram em agosto e setembro. O réu já soma 32 anos e 8 meses de prisão. Além disso, Abdiel é acusado de participar da chacina do "baile de favela", ocorrida no bairro Boa Vista, em Mossoró.

No caso desta quarta-feira, Abdiel, Clênio e Jorge Luiz, além de um quarto não identificado, são acusados de, no dia 29 de outubro de 2016, invadir a residência de Bruno Maycon, onde ele dormia, e matá-lo a tiros. Um adolescente também é apontado como participante do crime.

Conforme o processo, o crime foi motivado por briga entre as facções criminosas Sindicato do Crime e Primeiro Comando da Capital. A facção do RN tinha como objetivo assumir o controle do crime organizado na região do Santo Antônio.

Ainda segundo a denúncia do Ministério Público, formulada pelo promotor Armando Lúcio Ribeiro, antes de irem embora do local do crime, os criminosos deram um recado: disseram "foi o RN que acabou com a vida de Breno", deixando claro que o crime foi a mando do Sindicato do RN. Na época, a mãe da vítima confirmou que ele integrava o PCC.

O júri será presidido pelo juiz de Direito Vagnos Kelly Figueiredo de Medeiros. O Ministério Público será representado pelo promotor de justiça Ítalo Moreira Martins. Os interesses dos réus serão defendidos pelo defensor público Diego Melo da Fonseca e pelos advogados Ricardo Luiz da Costa e Pablo Kendersan de Oliveira Paiva.

Histórico de Abdiel Domiciano

Abdiel da Silva Domiciano da Silva tem um longo histórico na polícia, responde a vários outros homicídios e tentativas. Só este ano, ele foi julgado e condenado duas vezes.

No dia 29 de agosto de 2018, Abdiel foi condenado a 18 anos e 8 meses de prisão em regime fechado por matar o gari Lucas Serafim Saraiva e balear o colega dele Reginaldo Aquino da Silva, em 31 de agosto de 2016. O crime foi motivado por ciúmes da ex-esposa.
No dia 20 de setembro de 2018, Abdiel foi condenado a 14 anos de prisão no regime fechado pelo homicídio de Pedro Ítalo Santos Costa e ter baleado o comerciante Amon Peixoto Faria, em janeiro de 2017. Este crime também foi motivado por ciúmes da ex-esposa.

Abdiel também acusado de participar da chacina do Boa Vista, ocorrida em março de 2017. Cinco pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas durante o tiroteio que aconteceu durante um baile funk batizado como "Baile de favela". O crime foi promovido pelo Sindicato do RN contra o PCC, que comemorava a chegada de um líder da facção na cidade.

Foto:Abdiel Domiciano/Por Cesar Alves/MH
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário