_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

ARMA USADA PARA MATAR PM JOÃO MARIA NO RN É DE USO RESTRITO


De acordo com delegado, além de latrocínio, a hipótese de João Maria Figueiredo da Silva, membro do Policiais Antifascismo, ter sido executado também não está descartada.

A equipe formada para investigar o assassinato do policial militar João Maria Figueiredo da Silva, 36 anos, revelou que ele foi morto com tiros de um pistola calibre .40, que deveria ser exclusiva das forças militares brasileiras. O soldado Figueiredo foi morta na tarde da sexta-feira (21), em São Gonçalo do Amarante.

O delegado Frank José Albuquerque Silva, que integra a comissão responsável pela investigação da morte do PM, explicou que esse tipo de munição, de alguns anos para cá, tem também sido encontrada com criminosos, que obtém as armas por meio de roubo.

O investigador informou ainda que não estão descartadas as hipóteses de latrocínio ou de execução. E que não está descartada inclusive a possibilidade do crime ter sido cometido por policiais. O delegado informou ainda que foi pedida à Justiça a permissão para algumas diligências sigilosas. E que não poderia dar mais informações para não prejudicar a investigação.

Figueiredo foi morto na sexta-feira (21) quando passava por uma estrada carroçável que fica próxima à BR-101, por trás de um motel. Ele foi atingido por pelo menos cinco tiros. O cabo da Polícia Militar foi o 26º agente de segurança morto no Rio Grande do Norte em 2018.

De acordo com a versão preliminar, o soldado foi atingido primeiro no ombro. Ferido, tentou fugir, mas não conseguiu. Seu corpo só foi encontrado algumas horas após o crime. E sua identidade só foi revelada após a retirada do capacete que ele usava.

O crime chamou a atenção da sociedade porque Figueiredo recentemente trabalhou como segurança da governadora eleita, a senadora Fátima Bezerra (PT). Além disso, ele era defensor dos direitos humanos e um dos fundadores do Movimento Policiais Antifascismo.
Movimento Policiais Antifascismo do RN emite nota pela morte de Figueiredo.

O Movimento emitiu uma nota sobre a morte do PM Figueiredo na qual classificam o crime como uma tragédia. E que as informações preliminares apontam para “um crime de mando com caráter político”.

“A perda de um combatente não nos intimidará e não fará que recuemos um milímetro sequer. Vamos continuar intransigentes na luta pela desmilitarização da segurança pública, pelo fim da guerra às drogas, contra a política de encarceramento em massa e na defesa intransigente dos direitos humanos”, diz a nota.

E complementa: “Mas, sem nunca deixarmos de defender a transformação e mudança radical da segurança pública, do sistema criminal, do modelo de polícia (lutando pela carreira única, o ciclo completo e o controle externo das policias e etc.), e a valorização salarial e humana dos policiais. Afinal de contas, somos e continuamos policiais! Policiais Antifascismo!”

OP9
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário