_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

CASO ZAIRA: TESTEMUNHAS COMEÇAM A SER OUVIDAS PELA JUSTIÇA

Fase de instrução do processo sobre a morte da estudante universitária Zaira Cruz, morta no carnaval de Caicó, começa oficialmente dia 28 no fórum da cidade


Testemunhas começam a prestar depoimentos à justiça sobre morte da universitária Zaira Cruz. Foto: Redes Sociais/Montagem

Começaram a ser ouvidas pela Justiça as testemunhas sobre o caso do assassinato da estudante universitária Zaira Dantas Silveira Cruz, 22 anos, morta no dia 2 de março deste ano, sábado de carnaval em Caicó, a 282 quilômetros de Natal. De acordo com a advogada assistente de acusação, Kalina Medeiros, dez testemunhas foram ouvidas no fórum de Currais Novos, também na Região Seridó, na terça-feira (21).

A advogada explicou que a fase de instrução começa oficialmente no dia 28 de maio, mas devido à quantidade de testemunhas requisitadas em outras localidades diferentes de onde ocorreu o crime, alguns depoimentos serão colhidos pelos juízes dessas cidades e enviados para o Fórum de Caicó, onde a ação tramita.

Além das testemunhas de acusação e defesa, será ouvido o sargento da Polícia Militar de Currais Novos Pedro Inácio Araújo de Maria, 36 anos, acusado de estuprar e matar estrangulada Zaira Cruz. O acusado está preso desde o dia 15 de março, no Quartel da PM, em Natal.

De acordo a denúncia, a 2ª Promotoria de Justiça de Caicó requer que Pedro Inácio seja denunciado pela prática do estupro consumado e homicídio quadruplamente qualificado, para submetê-lo a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular da comarca da cidade. Foram arroladas como testemunhas cerca de 30 pessoas no total. A defesa do sargento Pedro Inácio afirmou que não irá se pronunciar neste momento para não prejudicar o andamento do processo.

De acordo com o inquérito policial do caso, na madrugada do dia 2 março, Pedro Inácio constrangeu, agrediu e estuprou Zaira Cruz dentro de um Kia Cerato de propriedade dele. Em seguida, ele asfixiou a vítima por esganadura com o objetivo de ocultar o crime sexual, uma vez que, caso não tivesse sido assassinada, a universitária poderia comunicar o estupro às autoridades policiais.

Segundo a denúncia, o PM, “utilizando-se de violência física extrema, mediante chutes, agressões e imobilização da vítima, especialmente pelos braços e pescoço, estuprou Zaira Cruz”. A advogada Kalina Medeiros afirmou que a acusação não tem dúvidas de que o acusado matou a universitária através de meio cruel, tentou ocultar o crime, tornou impossível a defesa da vítima e a assassinou por sua condição feminina.

Corpo de Zaira Cruz foi encontrado no carro do PM Pedro Inácio na manhã de sábado de carnaval em Caicó. Foto: Vilsemar Alves/TV Ponta Negra

OP9
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Atenção, antes de postar um comentário leia isto:

1. Todos os comentários postados neste espaço passarão por uma rigorosa análise antes de serem publicados.

2. Comentários que agridem verbalmente pessoas públicas só serão aceitos com identificação por meio de um cadastro válido.

3. Estes comentaristas devem se identificar com uma Conta Google, OpenID, LiveJournal, WordPress, TypePad ou AIM. Para todos os casos basta escolher a opção desejada no campo "Comentar como:" e logar.

4. Para responder um comentário basta clicar em “Reply” no comentário e escrever a resposta na frente do texto na janela que abrir. Exemplo: @<ahref="#c1234567890123456789">Anônimo</a> Olá, ótimo comentário. ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário