Operação Gangalha do Ministério da Justiça prende 1500 pessoas suspeitas do crime organizado no Nordeste



Durante a ação ocorrida nesta terça feira 09 de novembro, ao menos 16 pessoas foram presas no Rio Grande do Norte. O trabalho faz da Operação Cangalha, iniciada há dois meses e que é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

A operação visa combater o crime organizado no Nordeste, com ações simultâneas em todos os estados. Além das prisões, foram cumpridos 17 mandados de busca e apreensão, com apreensão de 07 armas de fogo, entre revólveres e pistolas e 408 munições, isso somente no Rio Grande do Norte.

Na região Nordeste foram 1.504 pessoas presas, entre elas chefes de organizações criminosas de atuação nacional e regional, foragidos que integravam listas de mais procurados dos estados e responsáveis por ataques a instituições financeiras.

A Operação Cangalha também resultou em 387 mandados de prisão cumpridos, na apreensão de cerca de 17 toneladas de drogas, 985 armas, cerca de R$ 39 milhões em espécie e/ou bloqueados na judicialmente e erradicação de 301.514 pés de maconha. Nos últimos dois meses, policiais civis, militares, penais e federais realizaram uma série de ações preventivas, repressivas e de inteligência nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe.

A Operação Cangalha teve três eixos de atuação: a erradicação de plantação de maconha, encabeçada pela Polícia Federal com auxílio da Polícia Rodoviária Federal e polícias militares, a identificação e inabilitação de aparelhos celulares em presídios, efetuada pelas polícias penais com apoio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e investigações de organizações criminosas, executadas pelas polícias civis e Forças-Tarefas SUSP de Combate ao Crime Organizado.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário